O tamanho do universo leva ao ateísmo?





John Loftus 

Em meados da década de 90 eu comprei uns cartazes com fotos contendo dúzias de galáxias, estrelas, várias nebulosas e o próprio sistema solar. Eu pendurei todos eles na parede do meu escritório. Estava perplexo pelo tamanho do nosso universo. Li alguns livros de astronomia também. O que a ciência tinha a dizer sobre o universo era bem surpreendente.

Lembrei como Deus poderia ser onipresente em um universo tão vasto,  como ele poderia ser ser onisciente a ponto de saber o que estava acontecendo nos confins da mesma, e de que maneira ele poderia ser onipotente para criar e manter o universo. Eu também questionei como ele poderia se preocupar em relação a vida neste pálido ponto azul, um minusculo astro situado em uma espiral da Via Láctea. Que tipo de Deus poderia existir e criar essas configurações do universo? Como ele poderia interagir nas diferentes regiões, distantes a bilhões de anos-luz de distância? Naquela época, tinha chegado a considerar que Deus se relacionava com o tempo, em certo sentido, desde da criação. Então, como poderia Deus interagir com o presente aqui na terra, e igualmente interagir com outra localidade em vários bilhões de anos-luz, sendo que essa outra região estaria em um tempo diferente? Isso faz algum sentido?

No mundo antigo quase todas as civilizações pensaram que suas cidades ou territórios eram o centro da terra. Mais tarde, quando as pessoas notaram a grande proporção do nosso planeta, acreditavam que a terra era o centro de todas as coisas. Quando as pessoas descobriram que o sol era o centro do sistema solar, este virou o centro de tudo ( por sua vez o sol não entrou como candidato, o que seria lógico). Mas quando descobrimos que apenas estamos inseridos um braço espiral da Via Láctea, percebemos que não há nenhum centro do universo, apenas suas incontáveis galáxias. No final, o lugar onde moramos não tem importância nenhuma em relação ao todo.

Mas por que então o tamanho do universo leva ao ateísmo? Além das razões já citadas, deve ser porque um Deus onipotente, que supostamente criou o nosso universo específico para ganhar o afeto das pessoas neste planeta insignificante, não faria esse tipo de criação. Se é isso que ele desejava (por alguma razão egoísta e irracional) ele poderia ter simplesmente criado nosso planeta, em um universo até menor do que aquele nos quais os antigos pensavam que existia. É muito desperdício de espaço !

NdoT: Obviamente, Loftus não considera a hipótese de uma divindade deísta, que criou o universo e não interfere nos eventos do mesmo. Uma entidade assim poderia sem problemas ter criado esse tipo de universo. Talvez o artigo deveria se chamar: " O tamanho do universo leva a refutação do teísmo religioso " ?




Fonte: O tamanho do universo leva ao ateísmo (em inglês) ?

Nenhum comentário:

Postar um comentário